Em Barra do Garças, pesquisadora italiana comenta lançamento de livro sobre Coronel Fawcett

Encontro entre a jornalista Margherita Detomas, colaboradores de sua obra e amigos foi promovido pela Secretaria Municipal de Cultura

Publicado em 07/06/2024


Autor: Secom-BG


Data: 07 de Junho de 2024

Autor: Secom-BG


A jornalista italiana Margherita Detomas participou de uma reunião em Barra do Garças, nesta quinta-feira (6), para comentar o lançamento do livro Cidades Invisíveis - Minha versão do caso P. H. Fawcett. O encontro com amigos da pesquisadora e colaboradores da sua obra foi apoiado pela Secretaria Municipal de Cultura e realizado no Centro de Cultura Valdon Varjão.

A autora está relançando a tradução de sua obra publicada originalmente na Itália, em 2019. Nesta edição, Detomas traz mais detalhes, com novos estudos, a partir de suas pesquisas recentes sobre o desaparecimento do Coronel Fawcett e toda a relação que o caso tem com o misticismo, a arqueologia e a história da região leste de Mato Grosso. 

Em São Paulo, o lançamento já aconteceu e as cópias estão esgotadas. Em Barra do Garças, a obra será lançada oficialmente em novembro. 

O trabalho refaz o percurso do explorador britânico a partir da história registrada em diferentes arquivos, em bibliotecas espalhadas pelo mundo e por meio dos estudos de Timothy Paterson, o sobrinho do próprio Fawcett. 

A autora iniciou o trabalho em 1996 e, em quase 30 anos de pesquisa, encontrou registros na Inglaterra, nos Estados Unidos, no Rio de Janeiro, em Cuiabá e em Barra do Garças. Além da pesquisa documental, Margherita fez várias expedições por Mato Grosso e nos lugares que, como conta a história, Percy H. Fawcett teria passado.

Ela cita que o livro foi uma construção coletiva que rendeu 5 páginas de agradecimentos e muitos deles destinados a colaboradores de Barra do Garças.

“O livro é baseado principalmente nas pesquisas de reconstrução histórica que fiz. Junto a isso, tem o trabalho de pesquisa de campo que fiz com os amigos de Barra do Garças”, destaca Margherita.

Segundo a versão mais contada da história, que virou lenda na região de Barra do Garças, Fawcett teria desaparecido na década de 20, em sua segunda expedição nessas terras, nas proximidades da Serra do Roncador, ao encontrar um portal para o que alguns estudiosos chamam de a cidade perdida de El Dourado.

Para a autora, Barra do Garças, com seus segredos, mistérios e arqueologia rica, é parte importante dessa história.

“O caso Fawcett representa um dos mistérios mais intrigantes e enigmáticos do Brasil e da pesquisa arqueológica moderna”, pontua. “O livro se chama Cidades Invisíveis porque são cidades que precisam ser descobertas e preservadas.”